Quinta-feira, 7 de Setembro de 2006

Caixa do correio

[ 0021 ]

Caro Rui, obrigado pelo e-mail. Conforme prometido, cá vai a discussão:

"Viva,
Comentar no seu blog anti-blog é um desatino desculpe que lhe diga
quem o quer fazer à pressa acaba por desistir, como eu além de perder a informação já escrita no espaço apropriado
especialmente se for um leigo como eu.."
É bem capaz de ser verdade. Provavelmente tais dificuldades dever-se-ão ao anti-spam que estava ligado e que já desliguei [espero que tal resolva o problema]. Esta medida de ligar o anti-spam prende-se com o que verifiquei em outros blogs e que não quero ver repetido aqui, a abertura deste espaço à venda de acessórios diversos e à publicidade pornográfica, por exemplo.
Mas, de qualquer forma, dada a fraca visibilidade deste espaço, é bem provável que tal não venha a acontecer...
"- Fazer uma lista de anti-links ??? acho uma perfeita perda de tempo...
Em meu entender julgo bem mais produtivo fazer uma reflexão sobre uma qqr situação que entenda exagerada, que introduza ruído e poluição na blogosfera."
A ideia da lista de anti-links surgiu em forma de "desabafo"... e é realmente uma perda de tempo. No entanto, vontade não me falta. Por enquanto limito-me a ir fazendo uma "crítica" a alguns blogs que vou encontrando e que me parecem de interesse, crítica que assume mais a forma de divulgação que outra coisa. Ainda não falei mal de nenhum...
A mim é-me um pouco difícil definir o que é exagero ou não neste meio. De qualquer maneira, creio ser necessário vir a expor algumas coisas que acho não dignificarem muito o exercício desta actividade.
Realmente existem muitos bons blogs, blogs excelentes... mas o oposto é também verdade. Mas não posso deixar de pensar que não sou nenhum tipo de autoridade que possa julgar esses casos. Creio que me limitarei a apontá-los com um "ligeiro comentário", sempre mantendo o perfil "vox populi" que possuo... e que sou.
E, por fim, fazer essa lista seria algo trabalhoso, não acha? Quer dizer... eles iam ser tantos...
"Neste caso de idolatria relativ/ ao MEsteve cardoso.. - que conto sei qual foi a sopeira que o fez.. Mas entendo não a linkar porque isso poderia abrir feridas na personalidade das visadas, algumas são hiper-sensíveis, de modo que enunciei o problema, a sua sintomatologia mas não feri ninguém... Provavelm/ a visada lerá o meu blog e isso pode levá-la a rever-se naquele exagero, naquela idolatria - que não deixa de ser uma certa modalidade de corrupção das almas via links/blogosfera.
 
Por outro lado, fazer essa lista anti-blogs seria...abrir frentes de guerra com muitas pessoas ao mmo tempo na Rede e isso tb seria desgastante, além de pouco inteligente..., quiça até suicida
 
Imagine o Carlos que amanhã abre uma frente de guerra com um blog que supõe ser ainda mais peq. do q o seu - q está em franca emergência...
Sucede que esse blog tem uma rede oculta de blogs-amigos altamente eficientes e que resolvem fazer-lhe um bloqueio...Ou asfixiá-lo mesmo..."
Compreendo. Isso já me aconteceu, há muito tempo, no primeiro blog que tive. Feri algumas susceptibilidades e deixei de ter visitas. Para além disso, reportaram-no à administração do alojamento e, após algumas advertências que ignorei, o blog foi, pura e simplesmente, fechado.
Devo esclarecer que nunca por nunca tomei atitudes insultuosas ou de carácter pessoal. Quando redijo algo acerca do trabalho de outrém, é acerca do trabalho, não da pessoa em si. No entanto, é como diz, a coisa da idolatria.
Tenho verificado que, um pouco ao contrário do que diz a Catarina Santos, a blogosfera por vezes potencia o surgimento de "cartéis". Claro que não no sentido estrito que a autora lhe atribui mas que sabemos da existência de "grupelhos" de aduladores, sabemos.
Passam por tudo. Pelos comentários a qualquer preço e por qualquer motivo, sempre sempre a dar razão às coisas que, aparentemente, nem sequer leram, pelo copy-paste dos links dos blogs dos "deuses", coisa que dá sempre um ar "sério" [ah! então ele também lê o Abrupto!...], etc.
Mas a intenção deste blog não passa pela popularidade nem pelas contagens de comentários... e muito menos pela constituição de um clube de fans. Este blog quer-se sério e honesto e, sobretudo, lido por gente de qualidade que pense mais ou menso como eu - "não quero ter razão, basta-me a lucidez", frase que me ensinaram e tenho mantido como um dos princípios éticos que me regulam.
Felizmente - este e-mail o prova - tenho tido um relativo sucesso.
"Bom, isto já sucede...
A blogosfera é uma grande sala onde todos já se conhecem mas em que todos concordam tb em não se conhecer (táticamente), é uma ambivalência comportamental digna dum estudo psicológio sério... A esquizofrenia na blogosfera é já mto significativa... Eu pp/o já detectei imensos casos desses"
Sim... tem toda a razão. Aliás, um dos primeiríssimos posts deste blog refere o assunto. E, como lá digo, penso que essa é uma das principais motivações básicas de muitos bloggers: a de conseguirem "ser algo" diferente...
"Há dias fiz um comment num blog de média dimensão... Eu como sou educado, humilde q.b. e até com alguma formação científica (ciências políticas) esperei que aí mmo o autor desse espaço replicasse - para criticar, anuir, etc... [...] O tipo respondia aos outros cromos que nada diziam, a mim resolveu - ostensivamente ignorar... [...] Qual não é o meu espanto qdo ao fim duma semana e meia + ou - o cromo em questão resolve convidar-me a integrar o seu espaço escrevendo um artigo por semana com a obrigatoriedade de o publicitar no Macroscópio... Foi até excessivamente educado nesse mail, talvez até um pouco sabujo... [...] Ele lá foi ver o que valia o meu nome no Google, wherever... [...]"
As reticências [...] são colocadas por mim, os parágrafos não estão transcritos na íntegra, creio não desvirtuar o sentido.
Será que na blogosfera nós somos apenas o que marca o contador ou o número de links? Assim parece. Para o bem e para o mal, mais para o mal.
Se por um lado essas ferramentas servem para nos apercebermos de quais as casas mais visitadas na blogosfera e assim podermos verificar quais as opiniões mais discutidas, por outro deixa-nos caír no marasmo dos tais "clubes de fans" que não largam a braguilha do seu deus. É infeliz quando tal acontece.
Há alguns anos eu tinha um blog por aqui no SAPO e fiz a experiência de tentar, a todo o custo, entrar para o TOP. E consegui.
Resolvi criar blogs com títulos pornográficos e enfiar-lhes um redireccionamento automático para o blog... que não tinha nada a ver com pornografia.
Após 6 horas, lá estava eu!
O que significa isso?
Entretanto eu próprio tenho criado alguns blogs comunitários para os quais convido alguns autores e que têm tido relativo sucesso...
Mas voltando ao assunto, existem alguns bloggers que, simplesmente, não aceitam críticas. Rodeiam-se de uma corte que os bajula e lhes concede a notoriedade necessária à manutenção do estatuto do blog - em termos de ranking, claro - e que não se dignam à resposta de "qualquer um" que lhes venha propor dúvidas.
O curioso é que esses blogs têm períodos de actividade bastante longos... talvez porque se transformem mais em "chatrooms" que outra coisa.
"é como diz, e bem, a maior parte dos comments é para autopromoção pessoal
eu tive a minha caixa de comentários abertas por ocasião das eleições autáqrquicas
e como moro no concelho de ****...à propos do **** nem imagina os cromos que por lá me apareceram"
Eu sei. Mas a não inclusão de caixa de comentários num blog, a meu ver, revela alguma "falta de transparência". Actualmente as caixas de comentários têm diversas ferramentas que permitem a moderação e eliminação de comentários e trackbacks.
Tomando este blog como exemplo não iremos a lado algum mas, existem outros que apresentam na sua caixa de comentários uma saudável discussão. [Aqui devo fazer um aparte para louvar a excelente caixa de comentários do SAPO que permite, entre outros, a discussão com resposta directa ao autor do comentário, a visualização de uma discussão em particular ou, como habitual, o comentário directo ao post]
Mas o facto de não haver caixa de comentários não implica necessariamente falta de transparência se, como faz o Rui, soubermos responder aos e-mails enviados, independentemente de os publicarmos ou não.
Tomemos o exemplo de JPP que, lá no Abrupto, publica os comentários que muito bem lhes serve, misturando numa proporção saudável os que concordam e os que não, dando uma falsa impressão de transparência. O que JPP não faz [pelo menos na parte que me toca] é responder a quem lhe envia um e-mail explicando os motivos da recusa à sua publicação.
E isso não é bom.
Resolve assim limitar a sua corte a uns quantos "iluminados" que obtêm o privilégio de terem o seu "nome escarrapachado nos jornais" e, ainda assim, sem a dignidade de um link ao espaço que mantêm...
" Eu fui educado consigo carago))) eh, eh, eh atão e fala com sutaque ou não!!!"
Aqui.
" Veja o que lhe parece o link supra (sobre a idolatria) e dê-me dp a sua opinião, ok... "
Fica prometida "crítica" acerca do artigo por aqui, pelo [anti-blog].
...
É certo que este post não consegue dar corpo a toda a discussão que estes parágrafos que, embora simples de concepção, trazem questões pertinentes acerca das reais motivações e dos tipos de comportamento na blogosfera.
No entanto, é com prazer que registo esta conversa aqui, "live on stage", com a ténue esperaça de que possa assim iniciar uma discussão no verdadeiro sentido do termo.
Para tal, por favor, não se coibam de comentar aqui na caixa do blog ou de enviar e-mail a cjt.lab@gmail.com.
.
Um abraço a todos,
.
Rui Paula de Matos,
muito obrigado pelo apoio que tem prestado a este blog.
[ categorias ]: , , ,
Quarta-feira, 23 de Agosto de 2006

A Boavista e o Calhau

[ 0010 ]

Agora, isto lembra-me uma questão que me persegue há anos - porque será que me sinto sempre bem quando estou no edifício da Fundação Calouste Gulbenkian?? Ou nos seus jardins?? Eu acho que a resposta está algures entre o fim do império romano e a idade das trevas dos bárbaros... Fica a impressão de um hiato durante o qual andamos todos um bocado perdidos e até esquecemos, em nome de uma assinatura de ruptura em nome de uma ideologia qualquer sem nexo, as mais elementares soluções de bom senso...

Um abraço jovem
[ Paulo Espinha @ a Baixa do Porto ]

Realmente aos olhos ignorantes das coisas arquitectónicas como são os meus, há qualquer coisa que falta ali, em redor daquele maciço da Casa da Música. A falta de uma envolvente ao edifício faz com que este, assim despido, se mostre tão orgulhosamente como um calhau de dimensões monstruosas que caiu, ressaltou e, finalmente, ali ficou parado na inútil espera de uns serviços camarários que o recolham.

Não tenho dúvidas em relação à existência de ousadas complexidades arquitectónicas [que, de resto, os meus complexados olhos não conseguem divisar] e muito menos da qualidade dos materiais utilizados que já tive oportunidade de apreciar em espectáculos. Sim, as cadeiras, a insonorização, o ambiente criado são de excepcional qualidade... mas tudo se desmorona quando saímos do edifício.

E os problemas começam precisamente aí, à saída. A íngreme escadaria, sem corrimão, as luzes que ofuscam, entre outras coisas, têm sido sobejamente apontadas por quem acede ao espaço. Mas isso vinha no pacote e parece que não há muita vontade [ou possibilidade] de contornar. Depois desses precalços, vem a tristeza, a aridez.

Não sei, não conheço os planos para a área, irei verificar. Mas é uma pena que não se faça algo por aquela zona, mais uma zona fantasma da cada vez mais fantasmagórica cidade do Porto.

[ categorias ]: ,
[ cjt ] às 19:25
link | comentar | favorito
@
> subscrição ao fundo da página

[ categorias ]

acerca do [anti-blog]

blocrítica

blog

blogosfera

blogs

correio

imagem

literatura

opinião

porto

todas as tags

[ frescos ]

Caixa do correio

A Boavista e o Calhau

[ arquivo ]

Setembro 2006

Agosto 2006

subscrever feeds

[ críticas ]

"Hummm... este blog é muito bom mas não é tão bom como o ABRUPTO" terá dito JPP, aqui citado pelo Senhor Anónimo, provável blogger e conhecido comentarista de blogs, cujas opiniões são geralmente muito bem fundamentadas.
"Ele não conseguiu tirar os olhos do blog e, nessa mesma noite ouviam-se os seus gritos desesperados: QUEM ME DERA A MIM TER UM BLOG ASSIM!!!"
Esta frase rapidamente passou a ser considerada uma classificação estampada em todos os blogs de bom gosto.

[ prémios ]

Este blog ostenta orgulhosamente a classificação de:
QUEM ME DERA A MIM TER UM BLOG ASSIM

[ ligações ]


1 - [próprios]

 

2 - [colectivos]

 

3 - [info]

 

4 - [ leituras ]

 

5 - [info internacional]

[ pesquisar]